O poder do inconsciente coletivo manifestado na cantoria coletiva das músicas do Raul no Rock in Rio

Foto: Foto: Rodrigo Esper / I Hate Flash — com Central DoRock, Leiliane Leila Oliveira, Tico Santa Cruz e Julio Peixoto.
O inconsciente coletivo está no TUDO e no NADA. Ele está no Raul, está em você, está no meu pai, está mim. A energia do Raul em nós. Assim como estou em você e você está em mim. SOMOS TODOS UM.

Eu sou a luz das estrelas; Eu sou a cor do luar; Eu sou as coisas da vida; Eu sou o medo de amar. Mas eu sou o amargo da língua; A mãe, o pai e o avô; O filho que ainda não veio; O INÍCIO, o FIM e o MEIO.

Segundo a Folha de São Paulo, capitaneada pelos Detonautas e tendo convidados como Zélia Duncan e Zeca Baleiro, a homenagem a Raul Seixas, na tarde deste sábado (14), no palco Sunset, do Rock in Rio 2014, transformou-se em uma grande CANTORIA COLETIVA e num protesto contra o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB). Tenho certeza de que, se Raul Seixas estivesse vivo, ele estaria nas ruas se manifestando com todo o povo brasileiro, disse Santa Cruz, antes de cantar "Eu Nasci Há Dez Mil Anos Atrás".

De acordo com Jung, a inevitável regressão psicológica dentro do grupo é parcialmente suprimida pelo ritual, isto é, pela cerimonia do culto que coloca no centro da atividade grupal a representação solene dos eventos sagrados, impedindo que a multidão caia numa instintividade inconsciente. Ao exigir a atenção e interesse de cada individuo, a cerimônia do culto possibilita que o mesmo tenha uma vivência relativamente individual dentro do grupo, mantendo-se assim mais ou menos consciente. No entanto, se faltar relação com o centro que expresse o inconsciente através de seu simbolismo, a alma da massa torna-se inevitavelmente o ponto focal de fascínio, atraindo cada um com seu feitiço. Por isso as multidões humanas são sempre incubadoras de epidemias psíquicas, sendo os acontecimentos na Alemanha nazista o evento clássico desse fenômeno.

Por outro lado afirma Jung, contra esta avaliação da psicologia de massa, essencialmente negativa, objetar-se-á que há também experiências positivas como, por exemplo, um entusiasmo saudável que incentiva o individuo a ações nobres, ou um sentimento igualmente positivo de solidariedade humana. Fatos desse tipo não devem ser negados. A comunidade pode conferir ao individuo coragem, decisão e dignidade que ele perderia facilmente no isolamento. Ela pode despertar nele a lembrança de ser um homem entre homens. Como exemplo cito: "A passeata do Raul" que acontece a 24 anos desde a morte do Raulzito; "Os protestos que vivemos ultimamente", a homenagem a Raul Seixas, Pai do Rock Brasileiro, no Rock in Rio 2013. O Raul costumava dizer que ele não tinha medo de morrer, mas tinha medo de deixar de existir. Medo este totalmente infundado, pois a energia e a sabedoria desse "Maluco Beleza" continuam cada vez mais vivas e atuais.

VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIVA E O NOVO AEON QUE SE ESTÁ DESPONTANDO!!
Querer o meu não é roubar o seu
Pois o que eu quero é só função de eu
Sociedade Alternativa, Sociedade Novo Aeon
É um sapato em cada pé
É direito de ser ateu ou de ter fé... (By Raulzito)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas