Sexo um caminho para o sagrado

Sempre que corpos se unem num beijo, num abraço, ocorre uma troca de energias. Se a união é sensual, num beijo ou num ato sexual, a liberação energético-informativa hormonal que ocorre, estimula todas as células do corpo e torna a transferência energética muito mais intensa. A relação sexual é uma troca íntima de fluidos vitais, hormônios e energia sutil. O clímax, no orgasmo, é o ápice na formação de um vínculo energético entre os parceiros. Cria-se, então uma memória energética celular, comum.

Segundo o poeta Carlos Drummond de Andrade: “Quem ousará dizer que ele é só alma? Quem não sente no corpo a alma expandir-se até desabrochar em puro grito de orgasmo, num instante de infinito? O corpo noutro corpo entrelaçado, fundido, dissolvido, volta à origem... E num sofrer de gozo entre palavras, menos que isto, sons, arquejos, ais, um só espasmo em nós atinge o clímax: é quando o amor morre de amor, divino”.

Já o psiquiatra Carl Jung, diz o seguinte sobre sexualidade: “É, na verdade, uma exuberância incontestável e genuína do Divino, cuja força transcendente oblitera e supera tudo que é individual”. E mais a tarde acrescenta: “Energia sexual é energia criativa que move a vida, nossa vontade e desejos”.

Georg Feverstein afirmou: “Minhas investigações convenceram-me de que o sexo pode ser uma importante porta de entrada para experiências místicas ou encontros com o sagrado”. David E. Elkins acrescentou: “Eros, sexo e sensualidade são um caminho autêntico para o sagrado, mas esse caminho encontra-se em grave abandono, tomado de arbustos espinhosos e coberto de escombros que se acumularam em séculos de repressão religiosa. Para trilhar esse caminho, temos que remover os escombros, debaixo deles encontraremos um caminho antigo que conduz à presença do Divino”.

De acordo com Flávio Bastos, estamos gradualmente apurando a percepção no sentido de compreender que toda vez que uma pessoa convida outra à comunhão sexual, ou aceita de alguém um apelo nesse sentido, tendo como base a INTIMIDADE e a CONFIANÇA mútua; estabelece-se entre ambas um circuito de forças pelo qual a dupla se alimenta psiquicamente de energias espirituais em regime de reciprocidade, ou seja, libera a energia que é inerente à sua natureza humana, pois sentir desejo e prazer são “ingredientes” indispensáveis na busca da felicidade, que pode também ser vista como a paixão pela vida onde a libido tem uma função destacada na conexão com o sagrado. 

Para Flávio Bastos, sexo é uma força poderosa que pode abrir a alma e limpar as portas da percepção para que possamos ver a beleza e a profundidade da vida. Quando um homem apaixona-se por uma mulher que excita tanto a sua alma como seus desejos eróticos mais profundos, a possibilidade de transcendência está próxima. Quando uma mulher encontra um homem cujo próprio ser desperta-lhe o corpo e toca-lhe a alma, está  na iminência da experiência sagrada.

Fontes:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas