Impulso

É isso mesmo Paula, nós mulheres temos o dom da intuição e da emoção e por isso assuntos filosóficos nos chamam tanto a atenção, engana-se quem acha que filosofia é somente pensamento lógico e razão. Meninas, a opinião de vocês veio exatamente de encontro com a proposta da exposição e enriqueceu muito nossa ideia de compartilhar nosso conhecimento e experiência. Tudo quanto é compartilhado é multiplicado e amplificado, o mais clássico exemplo disso é aquela passagem Bíblica onde Jesus faz a multiplicação dos pães. Já dizia o sábio Raul Seixas, “Sonho que se sonha só. É só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade”. Impulso, no meu modo de pensar é algo que ajuda a me manter em movimento, ou seja, agir. O impulso é fio condutor responsável por carregar a faísca necessária para gerar a explosão que nos faz tomar uma atitude, ‘for better or for worse’. Por essa característica explosiva do impulso que poderá nos levar a fazer coisas boas e também coisas ruins é preciso compreender nossos impulsos e o que nos motivou a tê-los. Essa compreensão faz parte do nosso autoconhecimento e contribui para nosso amadurecimento como seres humanos. Reprimir nossos impulsos poderá ser o caminho mais fácil para evitar fazer algo ruim/errado, no entanto essa repressão nos privará do erro que é justamente o que nos fazer aprender e nos conhecer.


O trecho acima foi retirado do post "Impulso", publicado no blog, Taverna Filosófica. Este post foi escrito a quatro mãos pela Paula e por mim. O mais interessante desse post é que ele traz os comentários que os leitores fizeram no post anterior que trata sobre a exposição "O pulso da vontade", que está em cartaz no Sesc Vila Mariana. Para ler o post completo clique aqui.


Caso alguém também queira comentar, sinta-se a vontade. Seu comentário será muito importante e irá enriquecer a discussão que se formou. E viva a liberdade de expressão e a troca de ideias e compartilhamento de informação.
Postar um comentário

Postagens mais visitadas