Há tantos caminhos, tantas portas, mas somente um tem coração


E já dizia o sábio Raulzito, "todos os caminhos são iguais o que leva à glória ou a perdição. Há tantos caminhos, tantas portas, mas somente um tem coração".

Don Juan revelou a Castañeda a pergunta-chave a ser feita ao escolher um caminho: "Esse caminho tem um coração?". Ele continuou indicando que "Todos os caminhos são o mesmo: não conduzem a parte alguma. São caminhos que atravessam o mato ou que entram no mato". (O objetivo é trilhar o caminho com o coração; o destino é indiferente. Don Juan parece estar descrevendo um caminho interior semelhante ao tao e estar enfatizando mais o processo do que a meta). Então, ele contrastou a consequência de fazer uma escolha:

"Acaso esse caminha tem coração? Em caso afirmativo, o caminho é bom; em caso contrário, de nada servirá. Ambos os caminhos não conduzem a parte alguma; porém, um deles é dotado de sentimento e o outro, não. Um deles destina-se a uma viagem feliz; enquanto você o seguir, formará uma unidade com ele. O outro fará com que você maldiga a sua vida. Um deles o torna forte, o outro o enfraquece". (Trecho do Livro - A sincronicidade e o Tao).
Agora fica fácil compreender também a mensagem que João Guimarães Rosa nos passou ao escrever em  seu livro “Grande Sertão Veredas”: O real não está na saída nem na chegada: ele se dispõe para a gente é no meio da travessia.


Quando o caminho tem coração acontece o equilíbrio, pois equilibrio se dá quando o som do nosso coração está em harmonia com o ritmo do UNIVERSO!
Postar um comentário

Postagens mais visitadas