Teoria dos conjuntos + Texto do Raul = Definição Estrambólica


Esses dias me lembrei de um texto do Raul, é do Raul Seixas. Adoro Raul, assim como gosto de Ciência, Música, Tecnologia e Arte e acabei fazendo uma associação "estrambólica" desse texto com a teoria dos conjuntos, mas precisamente o conceito de interseção.


Confesso que essa minha associação não é nada romântica. Ela é realista. Não acredito nas duas metades da maçã que estão separadas e quando se encontram, se apaixonam e se transformam em uma única maçã. A minha teoria é a seguinte, quando dois conjuntos A e B se conhecem e se apaixonam não existe a união desses conjuntos e sim a interseção deles. Para esclarecer melhor a minha teoria vou explicar: primeiro (1) a definição de interseção, segundo, (2) transcrever o texto do Raul e terceiro (3) finalizar meu raciocínio.

1)    Definição de Interseção:

A interseção dos conjuntos A e B é o conjunto de todos os elementos que pertencem ao conjunto A e ao conjunto B, ou seja, os elementos que são comuns aos dois conjuntos. Quando a interseção de dois conjuntos A e B é o conjunto vazio, dizemos que estes conjuntos são disjuntos.

A figura abaixo, que representa a definição de interseção foi desenhada por mim, pois todas as figuras que encontrei no Google lembram muito aula de matemática e não tem nenhuma arte.

2)    Texto do Raul:
Eu sou uma estrela; Tu és outra estrela. A infinita distância existente entre os dois seres só pode ser abolida pelo amor.

Ninguém é igual. Cada homem e cada mulher é uma estrela girando em sua própria órbita. Mas a civilização, através dos séculos, não respeitou a integridade do homem, criando leis absolutas e tentando impor uma vontade comum a todos. Isso é a mesma coisa que entrar numa sapataria e mandar o sujeito só vender um número de calçado, sem respeitar aqueles que possuem pés menores ou maiores. E se o sapato escolhido não cabe em nossos pés, nós somos, de qualquer forma, obrigados a usá-lo. E usamos!

É preciso tornar a ser o indivíduo outra vez. E, mesmo que até hoje as nossas esperanças tenham sido frustradas, nesta Nova Era, que se inicia, o indivíduo compreenderá o valor de si próprio e se unirá a outros.

3)    Finalização do meu raciocínio:
Quando duas pessoas resolvem ficar juntas o que deveria acontecer, ou pelo menos, o que acredito que deveria acontecer é a interseção e não a união. Justificando o meu ponto de vista, a união implica na junção de todas as coisas das duas pessoas, ou seja, a perda da individualidade, as pessoas deixam de ser elas mesmas a passam a acreditar nas metades da maçã que se unem para formar uma única. Raul, entendeu essa teoria quando disse: Eu sou uma estrela; Tu és outra estrela. A infinita distância existente entre os dois seres só pode ser abolida pelo amor. Ninguém é igual a ninguém. Cada homem e cada mulher é uma estrela girando em sua própria órbita.

Neste caso a interseção a que me refiro é o AMOR. O verdadeiro amor que respeita a si próprio e a individualidade do outro. O AMOR que faz com que duas pessoas se gostem sem abrir mão totalmente do seu jeito de ser e da sua personalidade. O AMOR que não exige que a outra pessoa, pense, viva e respire em função da outra. AMOR que Compartilha afinidades, gostos e até diferenças.

2 comentários

Postagens mais visitadas