O cosmos tem ecos de seu nascimento - Parte VI



A radiação cósmica de fundo do universo é composta por ecos de luz que sobraram do Big Bang. O satélite europeu Planck foi lançado em 2009 com a missão de detectar o rastro da primeira luz emitida depois da grande explosão. Neste mês de março, a Nasa divulgou a imagem mais precisa já realizada dos primeiros momentos do universo feita pelo Planck.

A imagem permitiu que os pesquisadores pudessem olhar para o Big Bang de perto, o que permitiu uma compreensão da formação do universo vinte vezes mais precisa do que antes.

Com exceção de algumas anomalias que farão os teóricos trabalharem durante semanas, os dados do Planck corroboram a hipótese de um modelo de universo que está em expansão e é plano.

Fonte: http://info.abril.com.br/noticias/ciencia/
Postar um comentário

Postagens mais visitadas